terça-feira, 5 de julho de 2011

"Stewie"




Já é chover no molhado, pelo menos para quem acompanha Family Guy, dizer que a orientação sexual de Stewie Griffin é algo controverso. Os mais geeks diriam que “ele pode não ser gay, mas já tem todos os drivers instalados“. Esse vídeo AND esse outro não me deixam mentir.

Porém todas as dúvidas acerca do tema foram por água abaixo na entrevista da última edição da Playboy americana, quando Seth MacFarlane – o criador da série, para os incultos – em pessoa confirmou: O pimpolho é homossexual. Palavras de MacFarlane:

    Fizemos um episódio que passou por toda a fase de script em que Stewie sai do armário. Tem a ver com o constrangimento sofrido pelas outras crianças na escola. Ele volta no tempo para evitar que seja escrita a passagem de Levíticos que diz ‘Não te deitarás com varão, como se fosse mulher. É abominação.’



E completa:

    Mas nós decidimos manter no ar, o que faz mais sentido, pois ele é uma criança de um ano de idade. Em última análise, Stewie será gay ou um heterossexual infeliz e reprimido. O que também explicaria o motivo de ele ser tão obcecado em matar sua mãe e dominar o mundo: Ele é muito agressivo, o que traz confusão e incerteza sobre sua orientação.

fonte: http://judao.mtv.uol.com.br/televisao/confirmado-stewie-griffin-e-gay/ 

sábado, 2 de julho de 2011

"Dona Roma/Amoroso Valentim (Miguel Magno)"




Novela - "A LUA ME DISSE"

Emissora - Rede Globo - 19h

de 18 de abril a 1 de outubro de 2005

143 capítulos

novela de Miguel Falabella e Maria Carmem Barbosa

colaboração de Antônia Pellegrino

direção de Leandro Neri e André Felipe Binder

direção geral de Roberto Talma e Rogério Gomes

núcleo Roberto Talma

Personagem: Dona Roma. Homem travesti, realista dentro do aspecto cross-dresser. Apesar de ter sido batizado como Amoroso Valentim, na trama a personagem faz investigações e ajuda a todos, combatendo as injustiças, uma observadora da alma humana. Dona Roma (Miguel Magno) era um confesso adepto do cross-dressing - modismo em pessoas que se travestem com roupas do sexo oposto por puro prazer. Proprietário da pensão por onde circula vários personagens no Beco da Baiúca, não demonstra interesse sexual, apenas sabe-se que chegou ali vestido de mulher e assim vive durante todo o dia. O cross-dresser, nome dado ao adepto da prática, não necessariamente se interesse por homens. 



"Orã/Conchita (Luis Melo)"




Novela - "COBRAS E LAGARTOS"

Emissora - Rede Globo - 19h

de 24 de abril a 17 de novembro de 2006

179 capítulos

novela de João Emanuel Carneiro

colaboração de Antônia Pellegrino, Denise Bandeira, Vincent Villari e Márcia Prates

direção de Cininha de Paula, Cláudio Boeckel, Marco Rodrigo e Ary Coslov

direção geral de Wolf Maya

núcleo Wolf Maya

Personagem: Orã (Luis Melo). Homem travesti, realista dentro do aspecto cross-dresser. Neste caso o personagem se apresenta também como um cross-dresser, homem que tem desejo de se vestir de mulher, apenas de se vestir, provavelmente um hábito difícil de ser aceito na sociedade heterossexual, a não ser no carnaval. Diferente de Dona Roma, citada acima, Orã tem filhos e luta pelo amor da esposa Silvana (Totia Meireles), mas às vezes se transforma em Conchita. A personagem serviu para difundir este hábito já citado, o cross-dressing que está dentro da orientação de homem travesti. O tema foi abordado com humor realismo e delicadeza, já que envolvia o amor dos filhos e da esposa. 


"Sarita (Floriano Peixoto)"



 
Novela - "EXPLODE CORAÇÃO"



Emissora - Rede Globo - 20h



de 6 de novembro de 1995 a 4 de maio de 1996



155 capítulos



novela de Glória Perez



direção de Denis Carvalho, Ary Coslov, Gracindo Júnior e Carlos Araújo



direção geral de Denis Carvalho


Personagem: Sarita Witte. Homem travesti, com definição equivocada. Sarita (Floriano Peixoto) é um travesti declarado e pouco realista, de maneira confusa apresenta idéias de um transexual.Tornou-se muito popular, mas não agradou o público GLBTT (Gays, Lésbicas, Bissexuais, Transexuais e Travestis), por sua aparência e comportamento que não a definiam como  travesti, drag queen ou um possível transexual. Provavelmente uma falta de pesquisa da autora ao elaborar os diálogos da personagem, não combinada a uma direção que conduzisse a personagem com realismo. Permaneceu até o final da trama onde é sugerido que encontrou um namorado. Pode-se considerar o primeiro personagem realmente travesti, que não passa a travestir-se por um disfarce e sim por se identificar com uma aparência de mulher e desejar um homem provavelmente ou aparentemente heterossexual. 


"Gino/Gina (Jandir Ferrari)"



 
Novela - "DEUS NOS ACUDA"

Emissora - Rede Globo - 19h

de 31 de agosto de 1992 a 27 de março de 1993

178 capítulos

novela de Sílvio de Abreu

escrita por Sílvio de Abreu, Alcides Nogueira e Maria Adelaide Amaral

direção de Jorge Fernando, Marcelo Travesso e Rogério Gomes

direção geral de Jorge Fernando

Personagem: Gina. Homem travesti, com motivo de disfarce. Gino (Jandir Ferrari) chega do exterior disfarçado de Gina, para fugir de um crime, porém desperta paixão em Wagner (Paulo César Grande). No desfecho da trama ele confessa ao pretendente que se defende alegando que ninguém é perfeito, fazendo uma citação ao filme "Quanto Mais Quente Melhor", onde acontece a mesma situação com o travesti de Jack Lemon. Em ambos os casos a orientação sexual dos travestidos e de seus assediadores é colocada em dúvida, sendo deixada em aberto, provavelmente para não causar polêmicas e evitar censuras dentro do gênero comédia.


"Eleonora (Mylla Christie) e Jenifer (Bárbara Borges)"



 
Novela - "SENHORA DO DESTINO"



Emissora - Rede Globo - 21h



de 28 de junho de 2004 a 12 de março de 2005



221 capítulos



novela de Aguinaldo Silva



colaboração de Filipe Miguez, Glória Barreto, Maria Elisa Berredo e Nelson Nadotti



direção de Luciano Sabino, Marco Rodrigo, Cláudio Boeckel e Ary Coslov



direção geral de Wolf Maya



núcleo Wolf Maya


Personagens: Eleonora (Mylla Christie) e Jenifer (Bárbara Borges). Mulheres lésbicas, apresentadas de forma realista, com destaque. Tiveram grande repercussão na mídia e destaque na trama. Mais uma vez o tema da orientação sexual foi discutido com realismo entre os personagens, que representavam amigos e família, assim como o preconceito. As personagens foram mostradas em cenas sensuais, tiveram um beijo do tipo selinho e foram as primeiras personagens não heterossexuais a adotarem um bebê, reafirmando assim o polêmico tema da adoção de crianças por casais formados por pessoas do mesmo sexo. 


"Clara (Aline Moraes) e Rafaela (Paula Picarelli)"



 
Novela - "MULHERES APAIXONADAS"

Emissora - Rede Globo - 20h

de 17 de fevereiro a 11 de outubro de 2003

203 capítulos

novela de Manoel Carlos

colaboração de Maria Carolina, Fausto Galvão e Vinícius Vianna

direção de Ary Coslov e Marcelo Travesso

direção geral de Ricardo Waddington, Rogério Gomes e José Luiz Villamarim

núcleo Ricardo Waddington

Personagens: Clara (Aline Moraes) e Rafaela (Paula Picarelli). Mulheres lésbicas, apresentadas de forma realista e com destaque. Bonitas e bem jovens, desconhecidas ainda do público, já que Aline Moraes havia feito apenas uma personagem coadjuvante (Coração de Estudante em 2002). O relacionamento das duas é mostrado de maneira declarada. O casal obteve grande repercussão na mídia e o beijo aconteceu com as personagens vestidas de Romeu e Julieta, devido a uma peça de teatro que acontece num determinado capítulo. Creio que tais personagens inauguram uma nova fase da abordagem do tema nas novelas. Como se pode observar, a partir desta novela, as tramas a seguir, dentro de suas respectivas orientações, são mais bem aceitas de um modo geral, elas acontecem após 2003. Em pesquisa encomendada pela Rede Globo, foi confirmada a simpatia que as personagens despertaram no público. Porém este mesmo não admitia uma suposta cena de beijo.



"Leila (Silvia Pfeifer) e Rafaela Katz (Christiane Torloni)"



 
Novela - "TORRE DE BABEL"

Emissora - Rede Globo - 20h

de 25 de maio de 1998 a 16 de janeiro de 1999

203 capítulos

novela de Sílvio de Abreu

escrita por Sílvio de Abreu, Alcides Nogueira e Bosco Brasil

direção de Denise Saraceni, José Luís Villamarin, Carlos Araújo e Paulo Silvestrini

direção geral de Denise Saraceni

núcleo Carlos Manga

Personagens: Leila (Silvia Pfeifer) e Rafaela Katz (Christiane Torloni). Mulheres Lésbicas, discretas e apresentadas de forma realista. Rafaela e Leila são bonitas, bem sucedidas e tem uma relação estável. Foram totalmente censuradas pelo público e patrocinadores, tiveram grande repercussão na mídia. Vários fatos foram apontados como causador da rejeição que foi ainda maior do que em Vale Tudo (de Gilberto Braga). Seriam vários: a divulgação antes da estréia, divulgando principalmente na mídia impressa que haveria um casal de lésbicas, fato que não ocorreu em outras antecessoras do mesmo autor (A Próxima Vítima, 1995) – Sandrinho e Jeferson, como consta no item Homossexuais Masculinos); o fato de as personagens serem interpretadas por atrizes já bem conhecidas do público (como em Vale Tudo de 1988 do autor Gilberto Braga, onde as atrizes não eram conhecidas, conforme consta acima neste mesmo item). O autor foi obrigado a mudar totalmente a trama devido a queda de audiência, além da censura por tramas paralelas que envolviam um avô incestuoso e um dependente químico, todos morreram na implosão do shopping center, implosão esta que estava prevista, mas foi antecipada. Até hoje essas personagens são símbolos da violência da censura da nova república. Ficou marcada a última aparição da personagem Rafaela Katzs dizendo – Só pode ser esse maldito preconceito – após a frase as duas se abraçam em meio à implosão.


"Letícia (Maria Luiza Mendonça)"




Minissérie - "ENGRAÇADINHA - SEUS AMORES E SEUS PECADOS"

Emissora - Rede Globo - 22h30

de 25 de abril a 26 de maio de 1995

18 capítulos

minissérie de Leopoldo Serran

baseada no romance Engraçadinha - Seus Amores, Seus Pecados de Nelson Rodrigues

colaboração de Carlos Gerbase

direção de João Henrique Jardim e Denise Saraceni

direção geral de Denise Saraceni

Personagem: Letícia (Maria Luiza Mendonça). Mulher lésbica, declarada. A personagem é feminina, noiva de Silvo que é primo de Engraçadinha, por quem nutri uma paixão. Na trama de duas fases, Letícia retorna e seduz Silene, filha de Engraçadinha. No desfecho, Letícia se suicida em nome do amor não correspondido. Em diversas vezes, Engraçadinha diz a melhor amiga Letícia que aquele sentimento não é amor e sim, tara. No caso de uma minissérie, em horário apropriado e envolvendo vários temas polêmicos como o incesto, muito presente nas obras de Nelson Rodrigues, o lesbianismo não causou repercussão. No caso de minisséries que são obras fechadas, não existe interferência do público, ainda mais neste caso, foi exibida em dezoito capítulos.


sexta-feira, 1 de julho de 2011

"Dora/Fubá (Nathalia Dill)"

               


Personagem - Falsa Mulher Travesti

A personagem é heterossexual não se identifica com a imagem de homem, apenas disfarce, recurso muito usado nas comédias do cinema e novelas das 19h da Rede Globo.

Novela - "CORDEL ENCANTADO"

Emissora - Rede Globo - 18h

estreia: 11 de abril de 2011

novela de Duca Rachid e Thelma Guedes

escrita por Duca Rachid, Thelma Guedes e Thereza Falcão

colaboração de Manuela Dias e Daisy Chaves

direção de Amora Mautner, Gustavo Fernandez, Natália Grimberg, Thiago Teitelroit e Ricardo Waddington

direção geral de Amora Mautner

núcleo de Ricardo Waddington

Dora, de Cordel Encantado - A filha do prefeito de Brogodó, Patácio Peixoto (Marcos Caruso), conseguiu um jeitinho para entrar no bando de Jesuíno (Cauã Reymond): virar Fubá. Com peruca, óculos de grau e fala mansa, a advogada Dora (Nathalia Dill) não desperta suspeitas sobre a sua verdadeira identidade. Só que sabe a verdade é Galego (Renan Ribeiro).



"Helena/ Mateus (Mônica Martelli)"



Personagem - Falsa Mulher Travesti

A personagem é heterossexual não se identifica com a imagem de homem, apenas disfarce, recurso muito usado nas comédias do cinema e novelas das 19h da Rede Globo.


Novela - "BELEZA PURA"

Emissora - Rede Globo - 19h

de 18 de fevereiro a 13 de setembro de 2008

179 capítulos

novela de Andréa Maltarolli

colaboração de Dayse Chaves, Emmanuel Jacobina, Flávia Bassone, João Brandão e Ricardo Hofstetter

supervisão de texto de Silvio de Abreu

direção de Rogério Gomes, Marcelo Travesso, André Felipe Binder e Luciana Oliveira

direção geral de Rogério Gomes

Helena, de Beleza Pura - Casada com o farmacêutico Mateus (Rodrigo Veronese), Helena (Mônica Martelli) viu a sua vida desmorar quando seu marido sofreu um acidente de helicóptero. Para ajudar o filho que tinha sérias crises de asma, ela não viu outra saída a não ser se vestir de homem e assumir o lugar de Mateus em um novo emprego.


"Calamity Jane/Mike (Betty Lago)"




Personagem - Falsa Mulher Travesti


A personagem é heterossexual não se identifica com a imagem de homem, apenas disfarce, recurso muito usado nas comédias do cinema e novelas das 19h da Rede Globo.

Novela - "BANG BANG"


Emissora - Rede Globo - 19h


de 3 de outubro de 2005 a 22 de abril de 2006


173 capítulos


novela de Mário Prata


escrita por Mário Prata, Antônio Prata, Ana Ferreira, Chico Mattoso, Filipe Miguez, Márcia Prates e Reinaldo Moraes


supervisão de texto de Carlos Lombardi


direção de Paulo Silvestrini, Cláudio Boeckel, Ary Coslov e Carlo Milani


direção geral de José Luiz Villamarim


núcleo Ricardo Waddington

Calamity Jane, de Bang Bang - Para cobrar uma dívida de bandidos que estavam disfarçados de mulheres - Henaide (Evandro Mesquita) e Denaide (Kadu Moliterno) -,  Calamity Jane (Betty Lago) não titubeou: colocou o chapéu e conseguiu entrar para turma. No entanto, ela não esperava que acabaria em um triângulo amoroso.


"Rick & Steve"




"Rick e Steve: The happiest gay couple in all the worl"

Uma animação que retrata a vida de um casal de homossexuais está sendo considerada um "South Park" gay nos Estados Unidos. A série "Rick & Steve: The Happiest Gay Couple in All the World" (Rick & Steve: O Casal Gay Mais Feliz do Mundo, em tradução livre) foi lançada neste mês pelo canal a cabo Logo, da MTV, cuja programação é voltada a lésbicas, gays, bissexuais e transexuais e chega a 26 milhões de residências.


Criada por Q. Allan Brocka, a animação se passa na fictícia praia de West Lahunga, "o mais gay dos guetos gays", onde os personagens Rick, um americano de origem filipina, e Steve, um viciado em musculação, moram em sua "casa fabulosamente decorada".



No Brasil a série foi exibida no canal de tevevisão por assinatura Cartoon Network durante o bloco adult swim,em 2009 a série voltou a ser exibida no canal I-Sat ainda no bloco adult swim.


O humor ácido e às vezes sem graça lembra o desenho "South Park", o mais popular entre os telespectadores gays americanos, segundo pesquisa da empresa Simmons Market Research. De acordo com o jornal The New York Times, o novo seriado tem piadas "espertas" baseadas nos estereótipos do mundo gay.


"É a maneira que todos os gays soam quando fazem piadas de si mesmo: maldosa, impiedosa e histérica", diz o jornal Washington Blade, voltado a leitores homossexuais.
A série começou com Rick e Steve se deparando com um problema - Kirsten, amiga lésbica de Rick, pede que ele a engravide, pois está tendo dificuldade para encontrar doadores de esperma. É o chute inicial para uma série de conflitos, já que Dana, esposa de Kirsten, e Steve são "inimigos imortais".


O fator politicamente incorreto também está presente, com piadas sobre Aids. O melhor amigo de Steve é Chuck, HIV positivo, em cadeira de rodas e com um namorado de 19 anos, Evan, um viciado em remédios para emagrecer. Ele e Chuck morrem de medo de ter de sair da cidade onde moram pois temem ser alvo de violência homofóbica.




terça-feira, 14 de junho de 2011

"Murilo (Cauã Reymond)"



Personagem - Homem / Homossexual

Carmem (Leandra Leal) é uma jovem e talentosa médica, que veio da pequena cidade de Penedo para viver sozinha em São Paulo. Seu melhor amigo é Murilo (Cauã Reymond), que conhece desde quando era pequena. Murilo é homossexual e trabalha como DJ. Um dia ele conhece Juan (Nazareno Casero), um músico argentino por quem se apaixona. Quando ele é expulso de casa pela namorada, Murilo não perde tempo e o chama para morar consigo. Entretanto, Juan é heterossexual convicto e passa a se interessar por Carmem. Ela retribui o interesse, mesmo temendo a reação de Murilo ao saber do fato. Até que uma situação inesperada muda os rumos do triângulo amoroso e da própria vida de Carmem.

Cinema

Ficha Técnica:

Título original: "Estamos Juntos"


Lançamento: 2011 (Brasil)


Direção: Toni Venturi


Atores: Leandra Leal, Cauã Reymond, Nazareno Casero, Dira Paes.


Duração: 95 min


Gênero: Drama


Status: Em cartaz


fonte: http://www.adorocinema.com/filmes/estamos-juntos/


segunda-feira, 13 de junho de 2011

Áureo (André Gonçalves)


Personagem homem homossexual - mais um para aumentar o núcleo de gays cômicos da TV, resta saber se acrescentará algo para esclarecer o público sobre homossexualidade. Não sei se foi feliz a ideia de usar o mesmo ator que marcou com um personagem tão bem construido e que acrescentou a história da teledramatugia no aspecto homossexual, agora num outro caricaturado. Eles existem, porém pelo mesmo ator, acho desgastante e um desperdício.




Agora, em “Morde & Assopra”, André encarna Áureo, que sai de casa para assumir sua orientação sexual e, ao voltar, choca a família e a pequena cidade de Preciosa. 


Em 1995, quando não se falava em beijo homossexual nas novelas, eles deram vida ao polêmico casal Sandrinho (André) e Jefferson (Lui) de “A Próxima Vítima”, que marcou época na teledramaturgia brasileira. 


domingo, 12 de junho de 2011

"Paloma Gurgel (DINA SFAT) e Renata (LÍDIA BRONDI)"



Personagem - Mulher Bissexual

De forma velada e discreta. Ao voltar do exterior Paloma reencontra dois ex-namorados do passado, Francisco Rubião (Francisco Cuoco) e Fernando Lucas (Tarcísio Meira).  Passa a demonstrar interesse por Renata (Lídia Brondi). O possível romance foi censurado, além de a novela não ter agradado por tratar de temas pesados como a eutanásia. A personagem Paloma suicida-se no último capítulo, sobrevoando a cidade com um avião até acabar o combustível.


Novela - "OS GIGANTES"

Emissora - Rede Globo 

Horário - 20h

de 20 de agosto de 1979 a 2 de fevereiro de 1980

147 capítulos

novela de Lauro César Muniz

direção de Régis Cardoso e Jardel Mello


"Zenilda (RENATA SORRAH)"


Personagem - Mulher Bissexual

A personagem cafetina, tinha uma relação íntima com Vieira (CATARINA ABDALLA) que passa as noites em seu quarto e no decorrer da trama, assunto é posto de lado e ela passa a se interessar por CLÁUDIO MARZO - Pedro Afonso,  com tem um romance até o desfecho, provavelmente para ter melhor audiência devido o personagem de Claudio Marzo ser marido de sua inimiga Maria Altiva (Eva Wilma).

Novela - "A INDOMADA"

Emissora - Rede Globo 

Horário - 20h

de 17 de fevereiro a 11 de outubro de 1997

203 capítulos

novela de Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares

escrita por Aguinaldo Silva, Ricardo Linhares, Márcia Prates e Nelson Nadotti

colaboração de Maria Elisa Berredo

direção de Marcos Paulo, Roberto Naar e Luís Henrique Rios

direção geral de Marcos Paulo


"Rebeca Cavalcanti (CAROLINA FERRAZ)"



Personagem - Mulher Bissexual

Somente no desfecho, último capítulo, talvez por receio de represálias, a personagem Karem (Mônica Torres) que não se manifestava quanto a desejo por homens, termina com a amiga  "Rebeca Cavalcanti (CAROLINA FERRAZ)", que está desgostosa com os homens, dos quais sempre demonstrou interesse durante toda a trama.

Novela - "BELÍSSIMA"

Emissora - Rede Globo 

Horário - 21h

de 7 de novembro de 2005 a 8 de julho de 2006

209 capítulos

novela de Silvio de Abreu

escrita por Silvio de Abreu, Sérgio Marques e Vinícius Vianna

direção de Flávia Lacerda, Gustavo Fernandez e Natália Grimberg

direção geral de Carlos Araújo, Luiz Henrique Rios e Denise Saraceni

núcleo Denise Saraceni



"Laura (Claudia Abreu)"




Personagem - Mulher Bissexual  

(talvez devido sua falta de caráter/desequilibrio, para conseguir o que quer tem uma relação sexual com uma mulher RENATA SORRAH - Dora Lima e não demonstra ter feito um sacrifício. Enquanto seduz homens no decorrer da obra)

Novela - "CELEBRIDADE"

Emissora - Rede Globo 

Hortário - 21h

de 13 de outubro de 2003 a 26 de junho de 2004

221 capítulos

novela de Gilberto Braga

escrita por Leonor Bassères, Ricardo Linhares, Sérgio Marques, Márcia Prates, Maria Helena Nascimento, Denise Bandeira e Ângela Chaves

direção de Amora Mautner e Vinícius Coimbra

direção geral de Denis Carvalho e Marcos Schechtman

núcleo Denis Carvalho


" Carolina (ROGÉRIA)"



Personagem - Homem Travesti

Novela - "PARAÍSO TROPICAL"

Emissora - Rede Globo 

Horário - 21h

de 5 de março a 29 de setembro de 2007

179 capítulos

novela de Gilberto Braga e Ricardo Linhares

escrita com Ângela Carneiro, João Ximenes Braga, Maria Helena Nascimento, Nelson Nadotti e Sérgio Marques

direção de Amora Mautner, Maria de Médicis, Cristiano Marques, Vinícius Coimbra e Roberto Vaz

direção geral de Denis Carvalho e José Luiz Villamarim

núcleo Denis Carvalho


Personagem - Carolina (Rogéria). O travesti Rogéria interpreta um transformista (artista homem que se transforma para fazer um show artístico) que visita a personagem Virginia (Yoná Magalhães) ex-vedete, uma amiga do passado, com a função na trama de chocar a síndica do prédio que é uma moralista implicante. De maneira cômica e desafiadora a personagem participa da novela passando a boa imagem à orientação divulgada, sem muito esclarecer o tema, porém sem censura. A participação agradou tanto que Rogéria foi convidada a participar do seriado Toma Lá Da Cá, sempre interpretando travestis.